PMR - O Município

O Município de Redenção

No inicio da década de sessenta a extinta SUDAM proporcionou a vinda de fazendeiros a se instalarem numa região denominada Boca da Mata. Com o desbravamento da fazenda Santa Tereza, de propriedade do Agrônomo João Lamari do Val, vieram também os pioneiros Ademar Guimarães,José Bueno Cintra e Gerudes Gomes da Silva. Na mesma época foram chegando Luiz Vargas Dumonte Carlos Ribeiro para conhecerem a serra dos Gradaús, localizada no município de Cumarú, Vale Lembrar que as primeiras casas foram construídas na atual Avenida Santa Tereza, sendo que um dos primeiros moradores foi o senhor Gerudes Gomes da Silva, falecido em 15 de abril de 2001.
Esses homens aventureiros dotados de um idealismo viram e conheceram uma região plana e rica de recursos minerais e vegetais, fator que levaram o lançamento da pedra fundamental exatamente no dia 21 de setembro de 1969. O que era uma ideia se transformou em uma vila para centenas de desbravadores, os quais vislumbravam nestas terras maravilhosas de futuro promissor. Todos aclamavam em uma só voz“... a terra é boa... o sonho deu certo...” um dos incentivadores para a criação do município de Redenção foi o médico Giovanni Queiroz, tido como o primeiro médico e professor, sendo também proprietário do primeiro hospital denominado Nossa Senhora da Conceição.
Construiu-se, onde hoje se situa a Avenida Brasil, uma pista de pouso aberta pelo desbravador Carlos Ribeiro, transformou-se no principal centro de abastecimento da região. Ressalta-se que em Redenção em 1972 teve um fluxo com a corrida ao extrativismo florestal, despertando a migração de muitos empresários gaúchos, paranaenses e mineiros.
Tendo sua origem relacionada ao município de Conceição do Araguaia, os moradores da localidade de Redenção, através de uma representação foram elevados a condição de Vila com sanção da Lei nº 4.568, de 04 de junho de 1975.
Com a descoberta de ouro em Cumarú em 1981, a vila de Redenção voltou a receber o fluxo populacional provenientes dos estados do Piauí, Maranhão, Pernambuco, e da Bahia. Com essa mesma aventura chegaram também os pilotos de aviação. Nesta época a Vila se tornou o centro irradiador na transação de negócios, onde o ouro e a madeira contribuíram para o incremento comercial e populacional. O tempo foi passando e o espírito aventureiro dos pioneiros foi transformando em mentalidade cívica e fraternal, chegando ao estado avançado da cidadania como hoje se pode observar.
Em 13 de maio de 1982 através da Lei nº 5.028 de autoria do então deputado estadual Plínio Pinheiro Neto Redenção ganha o titulo de emancipação política desmembrando-se do município de Conceição do Araguaia, passando à categoria de cidade, com a mesma denominação.
A cidade de Redenção foi fundada em 21 de setembro de 1969; com o nome de Boca da Mata.
Em 04 de junho de 1975 esta localidade foi transformada em distrito de Conceição do Araguaia. Passando a se chamar oficialmente de Redenção. Por intermédio do então Deputado Estadual Plínio Pinheiro Neto. O Distrito de Redenção foi Emancipado em 13 de maio de 1982, através da Lei nº. 5.028, publicada no Diário Oficial do Estado, do dia 26.03.82, assinada pelo então Governador do Estado do Pará, o Coronel Alacid da Silva Nunes.
O primeiro Prefeito eleito para administrar o município de Redenção foi o Sr. Arcelide Veronese, que governou por seis anos. Com ele foram eleitos nove Vereadores, a saber: João Tomé de Souza, Roberto de Castro Amorim, Antônio Vieira Lima, Pedro Alcântara de Souza, Pedro Carneiro de Souza, Natalício Alves Maciel (in memorian), Jonas Martins dos Santos, Olímpio Luiz de Farias e Antônio Batista da Silva.

CULTURA

A manifestação religiosa mais importante de Redenção é a festa em homenagem ao santo padroeiro do Município, Cristo Rei, comemorado no terceiro domingo de setembro.
O patrimônio cultural do Município é representado pelo carnaval, bois-bumbás e quadrilhas juninas, que ainda mantêm os elementos característicos que foram herdados do município de Conceição do Araguaia.
Em redenção, é marcante a presença dos imigrantes gaúchos, paranaenses, maranhenses, baianos, goianos e cearenses, que trouxeram para a região os traços culturais dos seus Estados de origem.

LOCALIZAÇÃO

O município de Redenção pertence à Mesorregião Sudeste Paraense e à Microrregião Redenção. A sede municipal apresenta as seguintes coordenadas geográficas: 08º 01\' 39\" de latitude Sul e 50º 01\' 42\" de longitude a Oeste de Greenwich.

LIMITES

Ao Norte - Municípios de Pau D\'Arco e Bannach
Ao Sul - Município de Santa Maria das Barreiras
A Leste - Município de Conceição do Araguaia
A Oeste - Município de Cumaru do Norte

PATRIMÔNIO NATURAL

A alteração da cobertura vegetal natural, calculada por trabalho realizado em imagens LANDSAT-TM, do ano de 1986, era de 32,91%. Foi observado que o incremento na velocidade do desmatamento no Sudeste do Pará ocorreu com maior intensidade nos três últimos anos. Recomenda-se trabalhos com objetivos ecológicos, no sentido de conter o desmatamento, recuperar as áreas críticas e preservar a rede hidrográfica.

SOLOS

Os solos encontrados no Município são representados, em sua predominância, pelo Podzólico Vermelho-Amarelo, textura argilosa; Concrecionário Polintítico e Litólicos distróficos. Ocorrem ainda, manchas de solos Litólicos eutróficos indiscriminados, de Afloramentos Rochosos, e de solos Hidromórficos nas áreas aluviais.

VEGETAÇÃO

A vegetação do Município é representada pela Floresta Aberta Mista, manchas de Cerrado, Cerradão e Parque (no domínio das savanas). Extensas áreas de vegetação primitiva vem sendo removidas anualmente, em função dos desmatamentos, para o plantio de pastagens destinadas a dar suporte à atividade Pecuária.

TOPOGRAFIA

O município de Redenção apresenta cotas altimétricas variando entre 160 m e 730 m, que se destacam na Serra dos Gradaús, na direção sul/norte.

GEOGRAFIA

Localiza-se a uma latitude 08º 01\' 43\' sul e a uma longitude 50º 01\' 53\' oeste, estando a uma altitude de 227 metros. Sua população estimada em 2004 era de 69.581 habitantes. Destaca-se economicamente na produção agropecuária, tendo um futuro bastante promissor na área de saúde devido à construção recente de um Hospital de referencia no município.Seu atual prefeito é Jorge Paulo da Silva conhecido por JPC. Redenção vem se destacando como sede da região Sul do Estado, a onde lidera uma enorme região que vai até o município de São Felix do Xingu.

GEOLOGIA E RELEVO

A geologia do Município é representada por rochas cristalinas do Pré-Cambriano, referidas ao Complexo Xingu (granitos, granodioritos, migmatito, diorito); Grupo Tocantins (filitos, xisto, grauvacas, etc.); e Grupo Estrono (ou Araxá), que aflora na Serra da Pedra.
O relevo da área é representado por superfícies plantadas em rochas cristalinas, áreas dissecadas em ravinas, contrafortes (da Serra dos Gradaús) e eventuais \'inselbergs\' que, morfoestruturalmente, se inserem nos limites da Depressão Periférica do Sul do Pará com o Planalto Dissecado do Sul do Pará.

HIDROGRAFIA

A hidrografia do município de Redenção é representada por três rios principais, de cursos mais ou menos paralelos, os quais nascem no sistema hidrográfico da Serra dos Gradaús. São os rios: Salobro, ao norte do Município e limite natural com o município de Rio Maria, o qual recebe alguns córregos pela margem direita; o rio Pau d\'Arco, que constitui o rio mais importante do Município, por conter todo o seu alto curso, e por sua drenagem bastante densa, onde se destacam o Ribeirão Pau d\'Arquinho e numerosos afluentes; ao sul do Município, está o rio Arraias do Araguaia, que faz limite natural entre os municípios de Redenção e Santa Maria das Barreiras, e dele apenas os afluentes da margem esquerda estão inclusos no Município.

CLIMA

O clima do Município insere-se na categoria de equatorial super-úmido, tipo Am, da classificação de Köppen, no limite de transição para o Aw. Possui temperatura média anual de 25,35º C, apresentando a média máxima em torno de 32,01º C e mínima de 22,71º C.
A umidade relativa é elevada, apresentando oscilações entre a estação mais chuvosa e a mais seca, que vão de 52% a 90%, sendo a média real de 78%.
O período chuvoso ocorre, notadamente, de novembro a maio, e o mais seco, de junho a outubro, estando o índice pluviométrico anual em torno de 2.000 mm.